instituto brasileiro arte e cultura
2016 - ano martins pena

Martins Pena
 
TELESANTANA
 
 
 
 
 
Telê Santana

 

Adeus, Mestre...

26/07/1931 <> 21/04/2006

Alguns fatos deveriam jamais existir. Chega-nos a notícia da morte de Telê Santana, o “Velho Mestre”. Num país de memória tão precária como o nosso, é imprescindível e obrigatório que se exalte tão brilhante figura.

Se é mesmo verdade que toda unanimidade é burra, é também fato notório que, a grande maioria das pessoas o considera o maior treinador da História do futebol brasileiro. Independente de sê-lo ou não – e isso é irrelevante diante de sua grandeza –, o que realmente importa é lembrar que mestre Telê foi, ao longo de toda sua trajetória, ferrenho defensor do futebol como arte, como espetáculo. Mais que isso: tornou sua atuação profissional íntegra e apaixonada – seja como jogador ou treinador –, uma referência obrigatória para todos aqueles que acreditam ser o Brasil um país viável, em que as conquistas possam se dar por mérito, talento, disciplina e amor.

Contrário a qualquer tipo de violência, dentro e fora de campo, viu-se impossibilitado de exercer a profissão, justamente em um período no qual as virtudes acima, pareciam não mais ser determinantes do resultado das conquistas.

Muitos são os jogadores que devem o equilíbrio de sua trajetória profissional e pessoal ao treinador, quase um pai. Em maior número ainda, são os torcedores apaixonados pelo futebol-arte praticado pelas equipes que dirigiu. Figura singular, Telê é uma das raras personalidades que paira acima das paixões clubísticas, sendo ídolo de inúmeras torcidas. Através dele, aprendemos que, se não é mais importante, ao menos é mais marcante, perder dando espetáculo do que vencer jogando feio.

Ninguém – tendo-a visto jogar – jamais esquecerá da Seleção Brasileira de 1982. Lição de vida, que faz-nos orgulhosos até de nossas derrotas, desde que sofridas com altivez e garra. Desde 1997, quando do encontro com o mestre para uma entrevista ao sítio Futebol Imaginário, pudemos constatar de perto a grande figura humana que era Telê. Tivemos a satisfação, ainda maior, de contar com sua presença em nosso quadro de patronos, desde o início de Agosto de 2005.

Registramos aqui o nosso pesar, firmando o compromisso de seguir nossa luta, estimulados pelos ideais do Velho Mestre. Nosso fio de esperança nos leva a acreditar que, ainda modestamente, poderemos contribuir para um país melhor. Estendemos nossos mais sinceros sentimentos de solidariedade e apoio a Dona Ivonete, Renê e Sandra, que sempre nos dedicaram tanto carinho, bem como a todos os demais familiares. Apesar da dor, todos temos a certeza de que Telê é eterno. E uma das maiores instituições desse país!

botão voltar
 
 

|| página inicial || apoio e patrocínio || institucional || sítios indicados || ||