instituto brasileiro arte e cultura
2016 - ano martins pena

Martins Pena
 
013
 
 
 
 
 
Gazy Andraus

História em Quadrinhos, Imagética e Maturidade – XXVII: O Cérebro Triuno

A mente humana é a resultante e "amontoado" de toda a estrutura inteligente desde o primeiro ser vivo unicelular...possuímos no cérebro, em camadas (como numa cebola) todas as fases da ampliação do cérebro até o neocortex atual...isso não quer dizer que acaba aqui a evolução. O cérebro se amplia e a inteligência triuna é neuroplástica. E mais, Maturana, um biólogo contemporâneo defende que o ser humano desenvolve e responde também pelo "ápice" e objetivo da inteligência: o amor! Ele explica que, se para os insetos ocorre a trofolaxe (fig. 1) – sistema que permite a transmissão fluídica e manutenção comunicacional das formigas -, por exemplo, nos homens isso se daria pelo amor, como parte desta evolução...e que ainda continua!
Dessa maneira, penso que a existência e resposta humana não é o desenvolvimento tecnológico por si: este é apenas um aparato para o advento da "razão" máxima, e que ainda não conseguimos atingir e equilibrar: o "amor" que é algo maior do que apenas a interação entre duas pessoas. E para isso, vejo que um cérebro triuno que funcione de forma equilibrada seria o ideal: racional (do hemisfério cerebral esquerdo) explicando a intuição, que viria em primeiro (pelo hemisfério direito), e ambos sendo colocados em ação pela inteligência pragmática da porção central (reptiliana), conforme atestou Waldemar De Gregori (figs. 2 a 5).
Há que vir um equilíbrio melhor futuramente! As crianças respondem por uma inteligência muito mais aguçada na atualidade (as tais crianças "índigos" ou "cristais").
Gosto da teoria de De Gregori, em que os primeiros sábios da humanidade (os tais místicos), como Moisés, Buda e Jesus, por exemplo, intuíam sua inteligência através de seu duto hemisferial direito cerebral, que captava as informações diretamente da fonte cósmica (da qual todos fazemos parte). Depois, passamos a gerenciar através dum maior desenvolvimento da racionalidade...só que isso parece que se inverteu, e a intuição ficou meio "olvidada". É hora de reequilibrar, afinal! Parece que alguns cientistas e pesquisadores da atualidade, Fritjof Capra, Humberto Maturana, Amit Goswami, Alan Moore, Edgar Franco, além de outros, começam a perceber isso e a endossar a teoria da mente triuna de De Gregori! Alguns desses pesquisadores são também artistas...
E a arte, como expressão disso tudo, se faz presente igualmente nos quadrinhos, pois trazem a reprodução do que temos em mente: contar e narrar histórias de forma imagética, com desenhos impulsionados pelo sistema nervoso que "caligrafiza" tudo em estilos pessoais de acordo com cada autor (desenhista).
Assim, a cada palestra que eu tenho feito, tanto durante a tese, como mais ainda após meu doutorado, eu ficava mais consciente de meu doutorado, e do que ele queria dizer/trazer! Hoje em dia, apesar de a tese já ter sido completada em dezembro de 2006 (tendo ganho um prêmio como melhor tese, recebendo-o pelo HQMix realizado em meados de 2007), venho percebendo melhor o trabalho quetive, conseguindo esclarecê-lo cada com mais propriedade e maturidade (aos outros e a mim mesmo).
Nas aulas de quadrinhos, nas palestras e workshops de HQ e fanzines que dou, nas aulas de pós: cada vez mais percebo como é importante para nossa manutenção psíquica continuar trabalhando e estudando...ainda que com momentos de lazer e parada necessários, muitas vezes, para aprender a deglutir, a gerenciar melhor as informações.
Desta maneira, artigos como esse que faço mensalmente, me põe forçosamente em contato com meu eu-psíquico tornando-me mais cônscio de minha tarefa...de minha humanidade...de meu "amor" pelo saber, mas também pela necessidade de compartilhar minhas "descobertas" com o próximo. O mesmo ocorre com as histórias em quadrinhos que produzo (fig.6a e 6b) ...E no fim, isso tudo vai ao encontro do que Maturana teceu em sua teoria: a manutenção de uma comunicação não mais trofoláxica, e sim, amorosa e fraterna, universalmente!
Essa é a intenção! Mesmo dos que não o sabem...

Referencial:

ANDRAUS, Gazy. As histórias em quadrinhos como informação imagética integrada ao ensino universitário. Tese de doutorado. São Paulo: ECA-USP, 2006.CAPRA, Fritjof. O Tao da Física. São Paulo: Cultrix, 1990.
DE GREGORI, WALDEMAR. Os poderes dos seus três cérebros. São Paulo: Pancast, 1999.
FRANCO, Edgar; COUTO, Mozart. BioCyberDrama. São Paulo: Opera Graphica editora, 2003.
GOSWAMI, Amit. A física da alma. São Paulo: Aleph, 2005.
MATURANA, Humberto R.; VARELA, Francisco J. A árvore do conhecimento: as bases biológicas da compreensão humana. Palas Athena, 2001.
MOORE, Alan. Argumentos. Centro Nacional de Banda Desenhada e Imagem, Câmara Municipal de Amadora, Devir. Amadora: setembro de 2002.


Gazy Andraus; São Vicente, 25 de abril de 2009

Professor da UNIFIG, Pesquisador do Observatório de Quadrinhos da Escola de Comunicações e Artes da USP (ECA-USP), Doutor em Ciências da Comunicação da ECA-USP (melhor tese de 2006 pelo HQMIX em 2007), Mestre em Artes Visuais pelo Instituto de Artes da UNESP, e autor de histórias em quadrinhos autorais adultas, de temática fantástico-filosófica.

13 de maio de 2009

 


botão voltar
 
 

|| página inicial || apoio e patrocínio || institucional || sítios indicados || ||