instituto brasileiro arte e cultura
2016 - ano martins pena

Martins Pena
 
017
 
 
 
 
 
Aurélio Juruba

Considerações Sobre a Nobre Arte do Gole

[email protected]

Salve amigos! Inicio estas modestas linhas com escusas generalizadas. Perdoem-me os demais articulistas dessa nobre instituição, mestres da oratória e da verborrágica, mas beber um trago é a mais nobre e antiga instituição nacional, o que confere a essas mal traçadas um peso quase constitucional.
Cá por essas plagas, entorna-se uma talagada em dias de euforia e melancolia, indistintamente. Bebe-se ao nascimento da prole e à perda do progenitor. Bebe-se à saudação da colheita e à agrura da estiagem. Conquista e derrota unidas num ato equânime.
Nas naus que aqui aportaram, em busca do caminho das índias – anatômico e não geográfico –, tomar umas e outras era a única forma de espantar o marasmo e manter a esperança em dias melhores.
No Brasil Colônia, jesuítas, colonos, deportados, escravos, índios, nobres e demais mortais, tinham por hábito confraternizar-se em orgias etílicas. Hábito mantido durante a Monarquia, personificado na figura de sua majestade, o príncipe-regente, beberrão confesso, elo entre plebe e nobreza, presença constante nas rodas de duques, comerciantes, barões, estivadores e prostitutas – não necessariamente nessa ordem de prioridades.
Do barão sádico no momento do açoite ao solitário negro fujão, do imperialista juramentado ao republicano de proa. Rebeliões, golpes de estado, perdas de safras, falências, plantios recordes, Café-com-Leite, café sem leite, Estado Novo, velhos estados – do corpo e da alma –, Maracanazzos, Agostos sem fim, a gostos afins, Brasílias, brasílias, Jaliscos, milicos, fechamentos, aberturas, Sarriás, Nova República, velhas repúblicas, companheiros deste país. Tudo pede um trago.
Gole a gole constrói-se a História. Na alegria e na tristeza. Na saúde e na doença. Na homo e na heteroessência. Democraticamente, na alma brasileira.

Aurélio Juruba é brasileiro. E bebe por qualquer motivo. Cívico ou não.
Pesquisador de Cultura Popular Brasileira

11 de abril de 2007

 


botão voltar
 
 

|| página inicial || apoio e patrocínio || institucional || sítios indicados || ||